Tulipas invadem meus olhos.

Posted in Uncategorized by Vinícius . on julho 20, 2008

Tenho andado em um mundo preto e branco, e nele muitas vezes, quase que impulsivamente,eu me espanco. Essa constância que insiste em me rodear, acaba por algumas vezes me corroer. E é doce o gosto, o sabor, que me invade a língua, os lábios, tentando deleitar-me mais do que uma cor faria.

O caso é que tulipas apareceram na minha frente, com cores fortes e surpreendentes, mesmo sendo elas também parte de todo esse ambiente desprovido de colorações.

Eu tenho, além de um belo vento que me arrasta, a certeza de que não me lembro das cores, de que não me lembro do rumo, mas eu me lembro do negro que dilacera meus olhos, e é bela essa escuridão.

Minhas mãos estendem-se para tocar o céu, e ele está bem perto.

As tulipas querem entrar, as tulipas querem ser parte dessa minha novelinha. Vamos deixar, as tulipas dizem saber amar.

Tagged with:

Desnortear .

Posted in Uncategorized by Vinícius . on julho 17, 2008

A vida é engraçada, realmente engraçada. Esporadicamente ela me faz rir. Gostaria sentar-me em frente à sua nascente, lá, aonde ela começa, aonde tudo se desenrola como em um pequeno livro em minhas mãos. Eu iria rir incessantemente, e só.

São tantos os rostos, as músicas, são tantas essas associações, são tantas essas doçuras. Eu na verdade sempre gostei mais do amargo, ou talvez eu tenha me acostumado. Mas há tanto doce por perto, há tanto confete na vida.

Então é assim que as coisas iluminam-se! como confetes!

Eu costumo fechar os olhos e escutar as explosões dentro de minha cabeça, escutar a mim mesmo pensando, escutar a vida se deslocando. Escutar os ventos cantando, escutar o vento. Como eu gosto do vento. Vento norte é o nome da minha vida.

É bom abrir a janela e sentir que o vento lá fora está ansioso para me arrastar diretamente para uma vida road-movie.